30.11.07

Olhei fundo nos teus olhos, quase atravessei a retina.
As tuas cores são fortes, palpitam em um ritmo sufocante.
Mas, por questão de segundos, voltei a sentir a mão esquerda – outrora dormente pelo peso da mala que carregava incessantemente.
Desviei o olhar e me foquei no cantar dos pássaros que pousaram na minha janela.


" ...Rumo do céu?
Que importa a rota.
Voa e canta enquanto resistirem as asas."

E te disse em voz alta: as tuas cores são fortes, mas as minhas brilham.
Tranquei a porta e te deixei ao acaso.



fui carnavalizar.

4 comentários:

léo disse...

tem atitudes inesperadas que batem forte contra a corrente de bons ventos,mas até essas acabam servindo p nos fazer voar com mais garra.

orgulho gigante de vc.
:**;

Gabriele Fidalgo disse...

Com esse teu sorriso iluminado, só podeia carnavalizar mesmo!!
Adoro o jeito que você escreve, Clara! Mesmo.

E olha, você conseguiu entender exatamnte o que eu quis dizer no meu post do blog. Principalmente sobre a parte da ressaca de silêncio. E só o seu comentário merece um post! rs


Beijooo

тαynαн disse...

Oi
vi seu blog no de gabriele.
Vejo que de fato é uma boa indicação, gostei dos seus textos.
Irei lhe add, tudo bem?

bom finalzinho de semana.
beijo

Ni disse...

Sabe o que é... "O mundo das letras podem esconder um potezinho de brilho em cada esquina", mas a tua aquarela cheia de cor tem o poder de encher o mundo ninóstico de sorrisos e sentimentos, muitos.

Vamos pra avenida, desfilar a vida.