2.3.08

Gritasse para as quatro paredes do nosso quarto as tuas dores e os meus dissabores. Fizesse as malas com as mesmas roupas de sempre, me impressionou o quanto a tua criatividade foi embora ao longo dos anos. Sentada, apenas assistia ao espetáculo digno de Oscar e me contorcia em um riso contido quando paravas a cena com um “onde está a minha camisa verde?”. Patético. Você, o enredo e o desfecho: patéticos.
Ao sair de casa estavas crente que me arrastaria aos teus pés e iria esquecer todos os dias ruins, as oportunidades perdidas, engoliria o choro como nos filmes românticos – o romantismo esconde as mentiras de uma época, as ilusões mal alimentadas de momentos que erroneamente julguei feliz. Amor não se implora e nem se premia, aprenda.
No mais, sabes – espero eu – que não irei declarar-me em versos repletos de advérbios de intensidade, nem escrever sobre despedidas. Jamais deixarei de comer, pelo contrário, minha fome de vida aumenta nessas situações. Meu sorriso matinal ficará no rosto, a rádio tocará o velho samba e não cantigas de amor sem sentido. O fato de você ter se perdido e conseqüentemente ter me arrastado para o teu redemoinho não me fez lacrar o peito, tampar o nariz. Ainda amo as coisas do porvir, só não te amo.
Nunca jogarei no lixo as tuas rimas assimétricas e nem falarei de ti como mais um sexo casual. Me levasses ao céu pelo caminho mais curto, porém não sabes entender os meus gritos silenciosos, minhas súplicas caladas. Acredito que para um bom entendedor, as entrelinhas bastam e hoje em dias nem sabes ler o meu primeiro parágrafo.
Cansei do eu-finjo-que-sou-feliz-e-você-dá-um-sorriso-aguado, me fazer feliz não é o seu forte.


Por isso, vá. Monta o teu mundo de fantasmas e seja feliz.

8 comentários:

Lucas disse...

clara, clara são suas palavras que de tão claras chegam ferir quem as lê, gostei muito disso aqui espero voltar sempre aqui e achar coisas boas escritas mesmo que rebeldes rs, bem não concordo sou a favor do romantismo se der passe veja o meu blog até mais

nj.marabuto disse...

sabe aquela impressão leiga de que o discurso é perfeito, a oratória é legítima e de uma firmeza crua, franca, madura... mas...

(silêncio)

beijo

Ana Cláudia Zumpano disse...

fiquei encantada com teus textos... lia vários, sem cansar, com vontade de ler mais! adorei o passeio que fiz aqui, vou voltar sempre! bjos ;*

Juliana Caribé disse...

Certa está você! (ou ela...) Quando estamos ao lado de alguém que não nos faz mais felizes, temos de deixá-lo ir... Melhor que ficar sofrendo...

NANDO DAMÁZIO disse...

Belas palavras .. O que não nos faz bem deve mesmo ser descartado .. É muito ruim nos sentirmos a mordaça de alguém .. Melhor deixá-la livre para seguir seu destino !!

Gostei,
Abraço !!

Camilinha disse...

... então é isso aí...

pés descalços e pé-na-tábua!!


beijos daqui e... e dali...

Cecilia . disse...

Que lindo.
Chorei tanto com a frase do final...

=*

Juliana.Campos disse...

Sem palavras...
;x
Lindo,amei!