23.1.09

O mundo me espera, seu moço.



Poeta,


Estou zonza.

Você não sabe, mas a minha afinidade com as tarjas pretas ainda não passou. É mais fácil e menos traumático para mim buscar o latente. Não é fraqueza, é só um corpo cansado do desequilíbrio, sabe?


Mas, bem, não tens nada a ver com isso, não é mesmo? Nem faz parte do teu mundo novo.
Então vamos ao que interessa: estou me sentindo presa, os poros estão tampando. Acredito que seja um pouco estranha essa minha afirmação para os teus conceitos, porém é tudo o que eu posso te dizer, neste momento. Vou segurar a tua mão sempre disposta a minha, mas me perdoe se não forem todas as vezes o nosso enlaçar de mãos.

Desculpa se o meu peito arritmado não conseguir disparar, é que ele anda tão colorido, tão misturado que fica difícil tentar separar cor por cor. E, principalmente, pela primeira vez, durante todos esses anos, não quero a pressa de um amor intenso. Preciso separar essas três palavras e dosá-las para não perderem o sentido. É uma contradição sim – mais uma, não é mesmo? É que depois de tanto me atropelar, hoje, eu preciso de calma para sentir os meus pés no meio-fio. Sentir um por um. Sabore-ar. Impulso e vontade me guiam, descontroladamente.
Não sei bem aonde pretendo chegar, nem se há caminho, mas sabes bem dos mes vôos vitais.
[Passei anos com a alma enfiada no futuro e deve ser por isso que há em mim uma ânsia pelo presente, pelo instante-já sambado.]
E perceba: não há qualquer linha minha que demonstre um passo falho teu, Sorriso.
És flor nascente.

Tudo se trata de liberdade.
Um beijo, nosso.



* Foto: O Chão de Graciliano - Audácio Dantas e Tiago Santana

7 comentários:

Erica Marie disse...

Lindo textos, aliás lindo como td que escreves!

Adoro passar por aqui!

Bjs :)

Ruberto Palazo disse...

Sabe...

Amor, pressa e intensidade as vezes nao tem conectividade. Explico... pq costumamos achar que o tempo corre quando estamos amando e a culpa é da intensidade do momento, pura bobagem. Por que tempo em nada tem a ver com amor. Amantes nao tem pressa, tem o querer de aproveitar o momento, o tempo é que insiste em ter pressa por pura inveja dos amantes sem pressa. Agora, onde entra a intensidade. Aposto que vc está pensando que amor tem que ser intenso, mas isso é balela. Amor é calmo, sereno, tranquilo e sem pressa. Paixão é intensa. E é obvio que todo amor, precisa de momentos de paixao intensa, mas o amor é calmo e tranquilo.

Beijooooo!

Srta. V disse...

passei por aqui.
bj.

Sunflower disse...

tô toda de editora, vc tem textos pra me mandar? ou eu roubo??

beijas

kátia disse...

Simplesmente LINDO!
AMO TU.
Bj

Camilinha disse...

vc aparenta (pela foto) tão pouca idade...
mas tanta sabedoria...
tanto domínio com as letras...
lindo manuseio com as palavras.
Parabens Clarinha!

amei o post!
:D

On The Rocks disse...

liberdade sim, ânsia não. não é bom.

bj