16.9.09

Manifesto ao amor que mata

Você me tinha nas mãos, eu sei, todos sabem. Até os segundos atrás, qualquer palavra tua chegava aos meus ouvidos como música de Chico. Quando não fosse doce, eu inventava doses extras de açúcar – normalmente, suspiros de textos meus, aqueles bastante diferentes dos teus - e incrementava a nossa mesa para dar um ar de vivacidade.

Acreditei, por livre e espontâneo, amor. Você tem noção do que é isso? Duvido. D-U-V-I-D-O. Sim, te acuso de um monte de coisa sem nome, mas com sentido. Sei lá se é culpa tua, só sei do aperto, do nó que não desenlaça. Me deixa gritar o manifesto ao amor que mata, destrói cores. Azul? Não, não é feito de azul. Esse teu olho é apenas uma combinação sortuda de genes. Não vou calar a boca. Ridícula? Me deixa ser. O que você sabe sobre ser? Você nem é. Fica nesse mundinho da auto-sustentação e inventa que a vida tem lá suas loucuras. É mentira, todo mundo que finge que te conhece sabe. Sabe que você mente compulsivamente porque a tua realidade é um terço do que havias imaginado.

Ah, desculpa. Esqueci que você não existe. Só essa coisa que, vira e volta, remexe aqui por dentro como um filho ainda não gerado, como uma ferida que não estanca, um trauma que ganhou moradia nas entranhas.

Não morro mais, você não merece um dos meus amores mais pulsantes. Não merece o traço torto da minha poesia livre. Ache o que quiser, me chame de louca, drogada, perturbada.
Sou mesmo. Aliás, deixa eu repetir a delícia de dizer sou, no sentido mais amplo da minha existência. Sou uma louca por vida – essa mesma que queres bitolar as tuas aparições primaveris - , uma drogada de vontades minhas, bem diferente do teu auto-controle abusivo.

Não há mais morada. As minhas letras cansaram do teu endereço. Ah, meu coração te esquece.
Além do mais, sou perturbada. Não controlo meus desejos, doidices. Teu silêncio é meu grito de liberdade. Por você, o amor não me mata mais.

13 comentários:

Camila disse...

Chega a apertar bem fundo o peito.

Lorita disse...

"Aliás, deixa eu repetir a delícia de dizer sou, no sentido mais amplo da minha existência."


;)

disse...

Nada como ser!

Bjo

Ani disse...

ficou ótimo!

Jaya disse...

Eu nunca morri de amor.

E...

'Quem pagará o enterro e as flores, se eu me morrer de amores?'

Vinicius perguntou, um dia.

Melhor é vivê-lo. In-ten-sa-men-te. Até arder. E quando não der, a gente tenta se enganar, escrevendo um texto assim. Inocentemente, pensando que vai dar certo. Escrever pra tentar fazer a alma acreditar...

Clarinha,

Você é puro amor. Dele, meu, e de todo mundo onde você se espalha. Apesar de todos os manifestos.

Um beijo.

Eloisa Faccio disse...

Manifestar-se contra o amor que mata? E que outro tipo de amor existe se não o que mata?
Amor é como oxigenio. Te garante a vida, e segue te matando lentamente.

Meu beijo.

vinilliterario disse...

Tava pensando exatamente em Chico lendo os teus escritos.

borboleta disse...

Parece que quando a gente morre de falar que não merece é pq no fundo ainda merece um pouquinho...

Thomaz Ribeiro disse...

Como diria Menotti Del Picchia:"Esta vida é um punhal de dois gumes fatais: não amar é sofrer; amar é sofrer mais". Fazer o quê?

Ni disse...

Isso aqui bateu fundo, tu continuas a mesma:
"Não morro mais, você não merece um dos meus amores mais pulsantes. Não merece o traço torto da minha poesia livre. Ache o que quiser, me chame de louca, drogada, perturbada."
A mesma Clara de sempre, aquela que eu gosto de sentir por todos os lados, todos os poros, todas as vísceras escritas! Manifesta, mta o ruim e deixa toda a tua essência, aí. Aqui, pra gente.

Tô voltando aos poucos. E que delícia é poder voltar e te ler assim, rasgada e inteira, como sempre. Linda!
"Clareia a minha vida, amor, no olhar..."

Um beijão bem grande,
Ni. :)

Patrícia Lage disse...

Ah, que lindo! Com Chico então...

Tô adorando a experiência no Versos de Falópio. Oportunidade boa essa de conhecer coisas lindas assim.

Meu beijo, parceira! =)

Lua disse...

Bem profundo o texto!

Adorei o blog, beijos.

disse...

Aceite minhas desculpas e meus elogios tbém..
Fiquei inebriada com seu texto, com tds na verdade..
Realmente maravilhosos!!
Felicidades a vc menina!!