4.4.10

Do pouco que se entende

" Um ser humano jamais passa incólume ao círculo magnético do outro."
Caio F.


Eu me sinto uma frase sem pontuação dessas que você gosta de usar e jura que está certo me sinto perdida nas tuas teorias pouco complexas tento entender a parte em que eu me encaixo entre um telefonema estranho e outro tento acompanhar teu ritmo desajeitado de ser enquanto me certifico internamente que está tudo bem tudo tranquilo e nada vai abalar a minha pose mas abala sabe é que eu esqueci de dizer nesse meio termo me vi apaixonada por tudo o que representasse e se referisse a você ou melhor por você inteiro e fui descobrindo beijo a beijo que toda essa loucura nem era tão louca assim toda essa poesia que não saía de modo algum era gasta no segundo que me deparava com os teus olhos e sabia sem medo que ali era o lugar ideal para despejar todas as letras que eu havia transportado pra você mas também no meio tudo fica quase impossível entender qualquer sentido é difícil saber se eu sou um vocativo ou mais uma continuação das tuas frases mal pontuadas e eu me perco sabe me perco de uma forma terrível porque estampa na minha testa aquela frase tatuada em mim em um lugar que você não sabe e essa mesma frase grita corre daí ainda dá tempo entretanto eu vou ficando porque o teu colo tem um abrigo único e você é a pessoa mais linda do meu agora fui deixando de lado tudo o que outrora foi prioritário para me jogar nisso que você dizia ser você mesmo no entanto parece que desandou parece que você prometeu demais e eu acreditei de menos parece que não combina não faz par e nem colore parece que me machuca parece que eu não quero mais ando um pouco perdida dentro dessa coisa de sair falando falando e nem se preocupar se faz sentido nem tentar reler é que pouco importa agora sabe já estou aqui e a distância é o que mais me maltrata uma distância implantada sem sentido feita por duas pessoas que decidiram não se ver e esperar enquanto a história acaba sim eu sou dramática mas cara eu te espero todos os dias eu sinto o teu corpo no meu sempre que preciso de paz e juro que ainda fico nessa de saber quem é sujeito predicado objeto direito da nossa frase fico sem saber onde empregar todos os verbos de promessa e os adjetivos sinceros no meio do texto é que se vai escrevendo escrevendo sem pensar e sai isso isso que não agrada e muda o rumo da história isso que faz cena e pede mais uma dose pra disfarçar a loucura eu sempre faço isso coloco um cigarro na mão finjo estar longe e peço uma dose pra evitar qualquer tipo de diálogo e contato pra evitar que as palavras saltem da minha boca e te digam tudo o que você deveria me deixar dizer sem medo sem que o pavor de te querer demais não me invadisse eu vou me perder de novo imaginando tudo o que poderia ser feito durante todo esse tempo em que somos um nós chega chega desse disparate dessa paixonite que nem rumo tem chega dessa coisa de achar demais e ter de menos preciso de vírgulas para poder me identificar no meio do texto de pontos finais para estabelecer teu limite em mim de exclamações para as minhas perguntas tão óbvias e muito doloridas preciso que você assuma a sua vida em um presente composto isso que você assuma que comigo não pode e pare de me deixar zonza

13 comentários:

André Luiz disse...

uma leveza linda sem qualquer limite imaginável é você, clara.

Fabi disse...

essa menina é 10.
olhem o que ela escreve.
kisses

Jaya Magalhães disse...

Mais ainda: o que você não escreve. Eu consigo ler.

Amanda Guimarães disse...

Nossa, como eu amei a forma de estar zonza no seu texto e deixar os leitores zonzos tb. Seu jeito de não saber o limite dele e agente não saber o limite das suas falas. Inteligentíssimo! Parabéns ! =)

Andressa disse...

Perfeito. Comecei a ler e quase desisti devido a falta de pontuação. Mas, poxa vida! Que lindo seu texto. E muito bem escrito. Parabéns.
Espero que você encontre suas vírgulas, exclamações, interrogações e pontos finais.
Abraços.

Jess disse...

Oi... Meu nome é Jéssica, conheci o Leonardo há algum tempo atrás e perdi totalmente o contato com ele? Vcs ainda se falam? Pois conheci, de longe, um pouco da história de vcs! Gostaria de poder retomar o contato com ele... Se puder me ajudar..

Jess!

Adriele Matos disse...

incrível!

Amanda disse...

Já lesse Luna Clara e apolo Onze? além da distância ainda tem um rapaz que falaapressadoeficaassimtudojunto. lembrei quando li...

Ah, é Adriana Falcão

beijo

Karla Thayse disse...

Sempre me encanto por aqui...
Tenha uma semana iluminada!
Beeijo

Marguerita disse...

Caramba!
Sou tua fã, Clara!!!

kátia disse...

PERFEITO!!!
TE AMO.

kátia disse...

PERFEITO!!!
TE AMO.

Nasca disse...

do pouco que se entende eu sinto muito você, menina. no meu Recife há um mar de estrelas Clarinhas!

:*