19.4.08

A vida era [aparentemente] boa
muitos amigos o rodeavam
achava-se um tanto que superior aos demais
não conhecia a dor
não conhecia o mundo fora da sua redoma de vidro,
redoma que artificalmente criou.

Um dia, porém, seu mundo,
que julgava forte como um diamante, caiu.
Como um frágil cristal despedaçou-se.

Engolidora escuridão.

Os milhares de pedacinhos se dispersaram,
cada qual para um lado que lhe conviesse
seguindo uma complexa equação matemática do caos da existência.

Engolidora escuridão.

Ninguém o conseguia ver, e lá ficou
- caído, fracassado, esquecido.
Eu, ao que parecia acaso, tropecei em algo que respondeu com um tímido ruído.
Apertei os olhos para conseguir distinguir por entre as sombras e consegui ver um ser humano na pior forma que existe
- subhumano.

Levei-o para casa; pacientemente escutei o apelo de suas lágrimas.
Limpei-o daquilo que parecia lama (sim, estava impregnado daquela substância)
Com toda força que tinha ajudei-o a levantar.
Passou-se muito tempo até conseguir restaurar a confiança em si mesmo
e com o peito apertado pudesse voltar a encarar o mundo.
Como um pássaro que se dá conta das suas asas.

Quando tudo encontra-se [aparentemente] perdido, uma pequena fuga da realidade pode ser fundamental para o renascer da fênix, mas é preciso ter cuidado para não ficar preso à sua fantasia, ao seu delírio.

Três anos passaram-se até que tive notícias suas: tinha catado minuciosamente os cacos e reconstruiu o seu cristal terrivelmente igual ao anterior.
Quando passei ao seu lado fingiu não conhecer aquela que lhe deu a mão quando ninguém mais o fez.
Virou o rosto cruelmente, e seguiu em sua vida.

Se senti raiva ou desprezo? Não, não.
“Nunca devemos encarar monstros sob a pena de nos tornarmos um deles”
A vida é feita de escolhas, cada um faz o que lhe convém.
Eu dou sempre o meu máximo naquilo que faço, não espero recompensas.
“É preciso exigir de cada um aquilo eu cada um é capaz de dar, nada mais.”


Rafaella Portela



Entre Vistas





10 comentários:

Juliana.Campos disse...

“É preciso exigir de cada um aquilo eu cada um é capaz de dar, nada mais.”

é a lei da vida, mas como já ouvi em algum lugar "errar é humano, perdoar é divino"!
Muito lindo o texto, amei =)

imnotinsane disse...

Está muito bom mesmo, adorei :) ***

Juliana Caribé disse...

Era na escuridão que ele estava. E estava perdido. No céu de lua nova, não conseguia divisar as ruas, nem as saídas. Sentou-se no chão, sentindo no peito todo o medo de estar sozinho, sem estrela-guia, abandonado por si e de si mesmo.
Ele sequer conseguia chorar. Há anos, não derramava nenhuma lágrima. Seco, era assim que estava. E na secura, o pavor encontrou espaço para crescer (ele se alimenta do vazio). E cresceu tanto e tanto que não havia mais espaço para esperança.
Sentado ali, nem percebeu quando uma mão apareceu a sua frente. Assustou-se, mas a agarrou como se ele estivesse naufragando e aquele fosse o último colete salva-vidas. Agarrou e a mão ajudou-o a erguer-se. Carregou-o por aquelas ruas escuras e cuidou das feridas que o corpo dele guardava. O homem se curou e se encontrou consigo.
Porém, nesse momento, perdeu-se dos outros.
(e sua existência foi toda uma ilusão de força e vida...)

Beijocas, Clara, menina bonita!

Mary West disse...

Belo texto, esperançoso mesmo, as vezes precisamos perceber q as coisas estão muito além do nosso controle.

Sacha!! disse...

O egoísmo e o egocentrismo sao mais comuns do que se imagina. Pessoas de casca grossa existem aos montes. Agora, almas que ajudam outras não são tão comuns, e sem esperar nada em troca, diria que são raríssimas.

Abraço,

Sacha!!

Narradora disse...

Muito bom o texto.
Pra sair da escuridão é preciso tirar a escuridão da gente.
bjs
Ps: No início lembrou aquela música da Vanessa da Mata, mInha herança: uma flor.
Bjs

Clarissa disse...

tá lindo o texto.
é, a parte de não esperar nada em troca é bem difícil. não de fazer as coisas só pelo resultado, mas de ter no mínimo uma esperaça de retorno. porque a gente aprende desde cedo, "se almoçar tudo, ganha chocolate", "se for um bom menino, ganha presente do papai noel", "se me emprestar seu boneco, vou ser seu amigo". a gente vai trocando o amor por um punhado de coisas e acaba enxergando as tudo só nessa perspectiva. até o amor às vezes é pela mais maneira que nos sentimos quando estamos perto de alguém, do que pela pessoa em si. acabamos realmente exigindo dela mais do que pode dar. e se ela some, apertamos o botão de desliga-amor e vamos pra outra. é o mais fácil.

Luciana Raskolnikov disse...

... Lindo texto
Doar parte do que temos, de tempo que nos é precioso, um pouquinho do que somos sem esperar resultados... Apenas por sentir necessidade de fazer, é a maior prova de humildade humana, mais que isso, é a prova de ser HUMANA! Agora, o que cada faz com o pedacinho que partilhamos, fica por livre arbitrio, ao menos segue-se em mente TER FEITO!!!
Em alguns momentos, lembrou me um trecho de uma poesia da argentina MARIA HELENA WALSH... "Tantas veces te mataron, tantas resucitarás, cuantas noches pasarás
desesperando. Y a la hora del naufragio, y la de la oscuridad,
alguien te rescatará, para ir cantando..." Um ODE para aqueles, que apesar dos pesares, não desistiu desta raça tão complicada que é a nossa!!!

Parabéns...

Ps* De uma passadinha no meu Blog, e comente o último texto postado por Ana Clara...
http://banzooo.blogspot.com/
Adorarei um comentario seu por lá... bacio

Ana Cláudia Zumpano disse...

é nem sempre as pessoas sabem cuidar do amor, da nossa doação... gostei muito! e mesmo sabendo que nem sempre teremos recompensa, eu continuo a ajudar, amparar e a amar...
Bjos ;*

Fê Probst disse...

Engolir a escuridão é difícil...