8.5.08

"Pequeno,

Tou aqui vendo a chuva cair, inundar cada cantinho de vida com algo do céu. Parece uma orquestra, as gotas contam um segredo as pedras ao cair, em sussurros. Virou mistério, poesia, um bom ângulo para foto. Definitivamente, é poesia. As pessoas conversam aqui do lado e nem sequer sentem o cheiro, apenas mudam-se de lugar para evitar qualquer tipo de respingo. Observando o passar da vida pelos minutos, me deu vontade de te escrever.
Dizem, amor, que chuva é coisa de nuvem cheia d´gua, mas acredito que é trabalho divino: alguém sorri bonito de felicidade e mandam uma chuva boa para esse sorriso se espalhar por aí.
E sentada aqui, coberta por um monte de concreto, fico seca. Seca. Me revirei por dentro com a intenção de achar qualquer resquício daquele gostinho do “lavar a alma” instalado permanentemente na minha boca e que eu fazia questão de te passar em cada beijo nosso. No entanto, só encontrei revolução, desapego. Lua ou estrela.
Fiquei um tempo remoendo todo esse sentir camuflado, ora amarelo, ora cinzento. Mais revolução. Fica chato e repetitivo porque eu sempre me pego brigando pelos mesmos direitos, pelos mesmos quereres, foco o meu tempo em fazer bandeiras e distribuir panfletos e assim, nem atino para a minha roupa molhada pelas nuvens. Olha só, pequeno, logo eu esquecendo a chuva! Acredita que um dia desse eu corri dela? É, corri sem mais nem menos, nunca consegui achar o motivo verdadeiro.
Engraçado, chegou uma mensagem tua agora, meu sorriso virou arco-íris, me transformo em cor com as tuas palavras, sabia? Lembrei da nossa música, me deu uma vontade de você, do teu sol me aquecendo. Aí a saudade chegou, como um decreto, sambou e foi embora junto com a água. Me deixou você de lembrança, teu gosto, teu rosto.
Foi a vez do meu sorriso sair por aí, sem ser em forma líquida. Ele veio dando pulos e cambalhotas ao teu encontro.

Todo mundo ta indo, também vou.
Fica aí com a paz que eu te mandei, com amor florescido em mim para o teu jardim.
Fica comigo.

Beijo,meu amor. "





Mas vai e antes de ir embora leva
leva um bocado de mim.

14 comentários:

Sunflower disse...

e antes dele ir embra e levar um bocado de ti, o quanto você não ganhou?

Aline Romero disse...

Ele pode ter ido embora, mas não foi sem deixar nada...
Voce sempre vai ter o Sol dele te aquecendo, mesmo que ele não esteja...
Texto bonito, Clara!

Patrícia disse...

Lindo texto...
Me deu ate vontade ter alguem para escrever, deu um apertinho assim sabe? Mas ja ja passa!!!
Amei passer por esse blog, parabens Clara.
Beijos

Clarissa disse...

que coisa mais linda. x)
sei nem o que dizer. entenda isso então como uma reverência silenciosa :)

léo disse...

(...)embaçados de encatamento,consumindo cada frase,meus olhos pareciam o retrato perfeito das nuvens que citou.

levo assim leve,pequena.

:*****;

Narradora disse...

Lindos, o texto e a declaração.
(sempre fica alguam coisa, não é mesmo?)
Bjs

imnotinsane disse...

As tuas palavras iluminam a noite mais escura MESMO!
Belas palavras ***

Juliana Caribé disse...

Que carta mais linda... Aqui nem tá chovendo, mas eu pude sentir o cheirinho de água caindo e lavando tudo. O gostinho de chuva na boca. O friozinho da água entrando nos poros.
Mexeu com meus sentidos... E eu gostei muito!

Beijos.

Camilinha disse...

a água tem tantos significados, tem tantas formas que até parece sentimento. de água congelada dentro da gente, de água evaporando do suor, de água moldando pensamentos concretos... e a chuva, ah, não esqueçamos mesmo da chuva! a chuva que cai do rosto dele quando se faz amor, a chuva que lava a alma já lavada tantas vezes, a chuva que não molha a secura da nossa saudade...

Ah, Clara... descobriste um fenômeno e tanto...

beijos daqui...

Mary West disse...

ai gente q coisa mais linda! Super quero passar por isso tb? Onde eu compro um amor assim ? ;)

Camila disse...

Aii...
Linda carta!
Até tive ímpetos de escrever pra alguém, mas agora tô sozinha no samba.

Respondendo a sua pergunta ("existe amor vil?"): acho que todo amor tem um pouco de vilania encrustrado. Lembre-se que o amor é a incorporação do tudo, dos extremos.

Natiih disse...

Liindo o teexto..
adorei o bloog,viu?!

Beijoos.

Sacha!! disse...

Gostei muito Clara, muito bonito mesmo. Ai, que saudade!!

Abraço,

Sacha!!

Juliana disse...

Ô,deos...
que coisa mais linda!