5.6.08

Um tal de redescobrir

Quadro original - Adelaide Ivánova Ensaio: Sexy back: Justin, brigada por tudo.
Exposição Espelhos Meus
Foto: Clareana Arôxa



Era um domingo de manhã. Traduz-se esse dia como início de tédio, conseqüência amarga das besteiras feitas no sábado à noite em busca de algo que a preenchesse. A dor de cabeça já tinha dado o seu bom-dia nada amoroso, o café estava frio e a sua cara já fora mais bonita. Olhou para as paredes e percebeu que elas estavam mais brancas do que nunca, pareciam mais sufocantes. Nada pronto na geladeira, nenhum líquido cuja fórmula principal seja álcool etílico, bebeu tudo na semana passada. Cigarro e água para ferver no fogo, com certa urgência.
Ela precisava respirar, se completar, ela precisava de arte. A Arte é uma forma de se encontrar, transgredir barreiras, encontrar o fio da linha, partitura da música ainda nem feita. Encantada e de mãos dadas com a fotografia, a alma inquietou-se, vasculhou o ‘algo a mais’ escondido no estômago, a revolução iria começar. Em questão de minutos, estava entregue à máquina, as letras e ao redescobrir da aquarela, das cores claras. Cada pedacinho do corpo era um movimento novo, uma vanguarda a ser lançada no infinito. Passou de estática à bailarina. Não, ela não sabia dançar ballet nem qualquer outra dança específica; só sabia criar movimentos, dar vazão as suas cores novas e dissonantes. Jogou pela janela a mulher da manhã de domingo e ficou com o reflexo das pinturas pouco ensaiadas nas paredes.
Pulou,
sem pára-quedas,
na sua
vida.


5 comentários:

Maria Fernanda disse...

Que o tombo não machuque.

Narradora disse...

Pular na vida da gente, só sem pára-quedas mesmo.
Bjs

Camilinha disse...

A arte é uma vida em paralelo que nos trás tão perto da verdadeira vida que sem ela é pouco o sentido de tudo. O artista é alguém com pouco visão, pouca audição, pouco tato e pouco sentimento porque a verdadeira arte é feita com a alma...


beijos daqui...

imnotinsane disse...

Lindo!
Acho que de vez em quando tambem devemos atirar-nos de cabeça, sem pára-quedas para a vida...
Podemos ter desilusões, mas as coisas boas superam tudo isso ***

Dori disse...

Corajosa...

Beijos.