6.7.09


“ Y a tourjours quelque chose d´abient qui mi tourment.”
Camile Claudel

“ (…) não dizer nada, fechar os olhos, ouvir o barulho do mar, fingindo dormir, que está tudo bem, os hematomas no plexo solar, o coração rasgado, tudo bem.”
Caio F.

Qualquer coisa, aquela
coisa.
O que
ultrapassa.
Pulsa.
Não tem
medo.
Intensidade
insana.
Esse patamar que
precisa ser alcançado,
essa linha.
Ve-lo
-(na)-
cidade.

18 comentários:

gato preto disse...

Ve-lo cidade : a gente vê em tudo o nosso amor...
Ve-lo na cidade: e se apronta cada vez que sai pra caso o veja nesse amontoado de prédios que lembram-no.
Lindo!
ps: Camile Claudel *-*

Narradora disse...

Gostei das imagens...
Beijo.

MargueRita disse...

Qualquer coisa, desde que seja aquela coisa!

Gostei do post!

Bj

Nasca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nasca disse...

deixo claro a tudo e a todos que a clara menina Clara será alvo de minha volta.

fazendo disto um marco, que tua poesia mesmo rápida me veio intensa :*

Hosana Lemos disse...

lindo o poema, e a escolha do trecho de Caio F. foi belíssima!

adorei

disse...

Expectativa.

Bjo

disse...

Lindo poema, Clara!! Contemporâneo e sagaz...

Bjoss :**

eve disse...

pequena é intensa! Menina clara, tuas lindas palavras iluminaram a minha noite escura.
seras alvo de um link no meu blog.
=*

vanessa. disse...

Vê-lo na cidade. Eu vi.

Beeijo
:*

On The Rocks disse...

essa coisa que instiga.

bj

João Romova disse...

[ainda absorvendo...]

meus instantes e momentos disse...

muito bonito. Muito bonito. Gosto daqui.
Maurizio

Jaya disse...

Sinto muito.

[Exageradamente].

E ontem, você me veio envelopada, fazendo poesia azul numa parede verde, e colorindo meu dia de esperança boa. Comi amor.

Clarissa Cor disse...

tb gostei demais do teu espaço, Menina! Beijo meu.

Sunflower disse...

A Clara é de um azul profundo.

Das divergências quanto tempo, espaço velocidade, entendo eu.

O meu é pra ontem, o dele é pra amanhã.

Tentemos então viver o hoje.

beijas

Carla P.S. disse...

É por aí. Esse tal de Caio F. é estonteante com as palavras.
Um café pra ti que me entende.

Eu, que não sou Chico disse...

Quando li, vi a luz. Aquela neon que passa quando a gente vê alguma coisa que corre. Um risco... que já foi.
Um amor, que ficou para trás...
Viajei?!
Bjo moça...