19.2.10

A tua presença


Na gaveta do armário encontro a minha maior covardia:

Uma gaveta de cartas interrompidas.

Eduardo Baszczyn


É preciso esclarecer os fatos, abrir as janelas. Por isso, vim te falar de liberdade. Nem sei se o nome que escrevo tem a imensidão do teu dicionário, então deixemos claro que hoje o discurso é unilateral, as palavras vieram das minhas gavetas.


Pois bem, não vou te prender, nem fazer cena, decorar música, escrever poema. Seria fértil a escrita porque tua alma de artista é texto vivo para os meus olhos. Mas, prefiro guardar as poesias para depositá-las durante o nosso abraço de um dia desses qualquer e te deixar seguir viagem.


As tuas asas devem estar intactas e atraentes para seguires voo. Sempre. Alto. Colorido para combinar com teu espaço reservado em mim.


Só volta quando a saudade apertar,
quando a poesia gritar,
quando a vontade vier.


Te ver bonito e

livre.

Voa.




Fevereiro das ladeiras lindas.

Madrugada.

10 comentários:

Anônimo disse...

Só porque eu te disse que vinha
Tu não dormiste?
Vestiste a melhor roupa?
Mantiveste os cabelos molhados?
Só porque eu te disse que vinha
Pra ti, não havia mais data ou calendário, não é?
Pois bem, eu vim!
Mas ainda assim isso resultou em ti
Uma soma de tempo inútil e vazio
Porque eu não vim por ti.*

Eu vim para estar
"entremeando alguma troça que valha,
passando por entre os frevos e confetes,
encontrando amigos em suas jornadas,
celebrando o que for possível,
espiando a poesia das coisas miúdas,
até porque eu sei muito bem
– se estivesse longe desse clima todo,
estaria choramingando de saudades.
"

"Vamos viver, vamos ver
Vamos ter, vamos ser
Vamos desentender do que não
Carnavalizar a vida coração
"

* referências de Porque me Disseste que Vinhas.

Camilinha disse...

Nem me fale em espécies aladas... Das que, mesmo libertas, tendem a voar baixo ao redor de uma só árvore.

beijos daqui..

Marguerita disse...

O importante é voltar!
Daí...tudo é alegria!

Jaya Magalhães disse...

Preciso de um fevereiro de ladeiras lindas, em 2011. O Recife me espere, e teu abraço também.

Esse texto é LINDO!

E aqui tá lindo igual, tu já sabe.

Beijo, Clarinha.

Nasca disse...

lindo? Jaya sem sal :/
suas palavras me atingiram como nunca antes.. tô meio incerto agora, e olha, isso é muito bom.

obrigado, Clara.

Ana Zumpano disse...

eu leio vc... sempre... é muito bom! parece um pedaço de mim falando... tá lindo aqui.
beijos

borboleta disse...

eu falei dos posts pós carnalva... não falei? :P

ahahahahahaa te amo tanto!

borboleta disse...

eu falei dos posts pós carnalva... não falei? :P

ahahahahahaa te amo tanto!

Jaya Magalhães disse...

Eu vim aqui só pra xingar Matheus. E dizer que eu sou puro doce, mesmo. E que ele é um antipático.

Haha.

Luciana Lís disse...

Um amor e poesia cheios de metalinguagem.
Muito bonito!

;*