11.10.08

Para quem vier a me amar

O seu amor
ame-o e deixe-o
livre pra amar
O seu amor
ame-o e deixe-o
livre pra ir aonde quiser
O seu amor
ame-o e deixe-o
brincar
ame-o e deixe-o
correr
ame-o e deixe-o
cansar
ame-o e deixe-o
dormir em paz.

Está declarado o amor anarquista.


Está declarada a liberdade do sentir e do achar
(leia em letras garrafais).


Um contexto imediato.
Está declarado meu manifesto ao mundo,
aos bons poetas.


[ depois de me matar assim tantas vezes, hoje, eu não me mato mais ]


31 comentários:

Leonardo Hoffman disse...

Visceral,
íntimo,
me intima
a ser
liberto.
Berra,
entrega,
instiga
atiça,
delira
ao meu
confesso.
Teu confesso.

Beijo,minha pequena.

Flávia disse...

Vc escreveu o que eu queria ter escrito - um manifesto por esse amor que não cobra, que não espera, que não é outra coisa senão amor. É dessa anarquia que desabrocha a mais perfeita ordem...

Amor não basta - mas devia bastar. Mania inútil essa de complicar as coisas.

Beijos, bonita :D

Nicky disse...

apoiado!
temos que amar simplesmente, sem mais complicações.

beeijos

André Souza disse...

Viver pra amar, não amar pra viver.
Tou contigo e não abro mão.
E viva a arte da vida.

Camilinha disse...

LIBERDADE PARA O AMOR!!!


(por que isso me soa tão lindo?)



beijos daqui..

Du Santana disse...

A vida nos dá sempre duas escolhas para a felicidade, amar ou... amar.
O resto é complicação.

^^

Heber disse...

como pode às vezes falar sobre amor parecer tão difícil, diante de constyruções tão simples e diretas, como essa?

Késia Maximiano disse...

E amar é mesmo uma das maravilhas de vivier!!!

Bjoooo

Ana Cláudia Zumpano disse...

Clara,
vc disse tudo. e eu estou contigo, eu não me mato mais...
adoro!
bjs

Narradora disse...

Seria bom conseguir assim, simples e livre... mas gente é bicho complicado.
Boa sorte da efetivação do seu manifesto.
Beijo

Polly disse...

"Esse ano eu morri, ano que vem eu nao morro"
Estava com saudade de visitar suas palavras...
ahhhhhhhh(suspiro)

Thaís Nóbrega disse...

tudo vale a pena se a alma não é pequena.

cansei de repetir isso pra mim.

mas parei quando percebi que a gente não pode se sentir responsável pela alma dos outros não.

é...

=*

César disse...

Delicadissimo, poetico, sensivel, encantador seu texto, seu blog, sua imagem. Vou voltar smepre..

Salve Jorge disse...

Quando vier amar
Venha como o mar
Pronto a ondular
Ir e voltar
Profundo
Muitas vezes fecundo
Outras vezes um mundo
À parte
Mas enigmático na arte
De transformar um segundo
Numa eternidade ímpar
De um par
Que em um cais
Tendo sido menos ou mais
Sabe que o que jaz
Trouxe paz
Se deixando levar
Ao mar
Ah, mar...

disse...

O amor não pode prender, tem que libertar.

Bjo

Gabi disse...

Um amor desse tipo seria possível encontra? Talvez sim, mas quem sabe o tempo que dura.
Infelizmente é uma realidade dos relacionamentos atuais. Mas vale a pena sempre procura-lo. Quem sabe não o encontremos.
Beijo

Sunflower disse...

Clara, como sempre adoro seus escritos e eles me fazer faltar palavras, mas todas elas, se saíssem, seriam em caixa alta.

beijas

André Souza disse...

Clarinha clareia e permeia.
Gravei uma coisa pra ti!
Atualiza logo esse negócio aqui, heim, alias..... tu me deve algo, flor!
Beijo.

sof - disse...

nossa,eu amo seus textos! *: voce fala de amor,parece com sentimento,e nao simplismente fala.
:*

JOCENDIR CAMARGO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JOCENDIR CAMARGO disse...

Esta declarado, és belo seu pensar, és belo seu amor, és bela tua alma...Amor assim dá inveja de quem o recebe, dá gana de ser o sortudo a receber, amor assim só pode ser vivenciado com muita esperança...Parabéns e uma otima semana.. um beijo carinhoso.

Palhaço disse...

saber amar...
uma virtude que poucos tem e todos querem...
E viva l´amore!

Salve Jorge disse...

Clara
Não repara
Mas é que ouvi que Odara
Não se compara
À tua ginga rara
Ao teu molejo que não para
Mesmo se nos separa
A vastidão de um saara
Seria honraria da mais cara
Ficar aqui na claridade...

Leandro BLuz disse...

É isso aí !

Apoio o movimento da Liberdade ao Amor!

Pq prendeu, eu fujo mesmo !!!

Juliana.Campos disse...

Liberdade de expressão, de pensamento de sentimento!!

Filipe Garcia disse...

O amor não combina em nada com grilhões, Clara, isso é verdade. Essa forma de amor que você prega com todos os pulmões, é a minha forma de entender amor. Quero que seja assim também.

Beijo.

Poeta Urbano disse...

só faça

e não se importe com os nãos

Poeta Urbano disse...

só faça

e não se importe com os nãos

André Souza disse...

toma.

Leila Saads disse...

Não sei o que acontece por aqui - ou por aí. Mas sempre que te leio me vejo retratada nas suas palavras. Parece que você passa pelas mesmas coisas que eu nos mesmos momentos que eu! Coincidência demais... =)
Também ando bradando por aí o meu manifesto do livre amor, do amor-anarquista. Tenho sido pouco compreendida, mas tenho fé num futuro de menos posses e de corações mais leves.

Beijos!

Fada disse...

Eitaaaaaaaa que delicia ler um texto assim...

Rica estive sumida , mas estou voltando aos poucos!!

Saudade do espacinho

beijosmil